Comando Value

Hoje vou mostrar como utilizar o comando VALUE(), e qual sua utilidade.

Podemos usar o VALUE da seguinte forma, chamando o PROGRAMA ou PROCEDURE que foi gravado na variável.

Lembramos que o comando value tem a finalidade de fazer com que o comando onde ele é usado, considere o valor do parâmetro passado e não o próprio parâmetro.

A sintaxe para se passar o parametro usando RUN VALUE() é a mesma que usando somente o RUN.

Veja os Exemplos abaixo:

1. Sem usar a opção VALUE():

DEFINE VARIABLE i AS INTEGER     NO-UNDO.

DEFINE VARIABLE j AS INTEGER     NO-UNDO.

RUN calcula.p(INPUT i, OUTPUT j).

Neste exemplo chamamos o programa calcula.p passando os parametros I (de entrada) e J (e saída).

2. Com a opção VALUE():

DEFINE VARIABLE cNomePrograma AS CHARACTER   NO-UNDO.

DEFINE VARIABLE i AS INTEGER     NO-UNDO.

DEFINE VARIABLE j AS INTEGER     NO-UNDO.

ASSIGN

cNomePrograma = “calcula.p”.

RUN VALUE(cNomePrograma)(INPUT i, OUTPUT j).

Neste exemplo, também chamamos o programa calcula.p passando os parametros I (de entrada) e J (e saída), mas só o chamamos por que usamos a opção value.

Se tentássemos chamar assim:

RUN cNomePrograma(INPUT i, OUTPUT j).

Estaríamos chamando um programa ou procedure de nome cNomePrograma.

Esse comando é muito útil para o desenvolvimento de rotinas dinâmicas. O Exemplo aqui é bem simples, mas o comando pode ser utilizado em situações bem mais úteis.

FDantas

Formado pela FPJ (Faculdade Politecnica de Jundiai), atualmente atuando como analista de sistemas. Trabalha há mais de 10 anos com analise, desenvolvimento e customização de sistemas desenvolvidos em Progress 4GL como Magnus, EMS e HCM. Atua também com desenvolvimento web, utilizando a ferramenta WebSpeed.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Unable to load the Are You a Human PlayThru™. Please contact the site owner to report the problem.